Publicado em 12 de Dezembro de 2017

Mulher tem mão esquerda esmagada em moedor de cana

Cláudia Gomes, de 39 anos, se distraiu quando fazia caldo de cana e ficou presa no maquinário

Na tarde desta terça-feira (12), na rua da Palma, Centro do Recife, uma vendedora de caldo de cana teve metade da mão esquerda esmagada pelo espremedor de cana. Segundo informações das pessoas que estavam no entorno, na hora do acidente, a mulher, identificada como Cláudia Gomes, de 39 anos, ao moer a cana acabou se distraindo e teve a mão “puxada” pelo maquinário, o que ainda causou um choque, resultando no seu desmaio. Ela ficou presa por cerca de 1h30, até que um mecânico conseguiu soltá-la.

O Corpo de Bombeiros estava no local, tentando tirar a mão da Cláudia do expremedor, mas sem sucesso. O mecânico Jair João da Silva foi o único que conseguiu, em cinco minutos, soltar a mão da vítima. Não é a primeira vez que Jair é chamado para atuar num acidente como esse. Ele informa que isso poderia ser evitado se os comerciantes que trabalham moendo cana comprassem uma “boca de proteção” para o equipamento, que custa em torno de R$ 30. “Isso poderia não ter acontecido se ela tivesse, no moedor a proteção de mão, que eu também produzo para colocar nessas máquinas, que não tem essa proteção de segurança vindo de fábrica. O preço para isso é baixo, se comparado com uma vida”, disse.

 

foi mais de 1h30 de sofrimento
O equipamento utilizado pelo mecânico foi um Saca Polia Hidráulico, que custa em torno de R$ 500. Cláudia Gomes seguiu desacordada na ambulância dos bombeiros para o Hospital da Restauração.
Chico Peixoto/LeiaJáImagens